As formas da coisa / A coisa das Formas

vídeo digital / 9 min


ficha técnica:

Argumento / Roteiro / Direção
Yan Copelli

Atriz
Caruline Maria

Cirurgiões
Julia Correa
Mark Skeens

Cinegrafista
Pedro Falcão


A forma das coisas / A coisa das formas busca apresentar o mundo subjetivo dos objetos expondo as relações de poder que eles adquirem na sua coexistência com a experiência humana. Na performance os objetos como simbolos das relações de poder expressam esse mundo subjetivo sobre aqueles que interagem com ele: dominação, submissão, materialidade e conotação na sociedade são colocados em questão com a intenção de resignificar essas relações e expurga-los de sua obrigação frente a um outro.

A performance busca entender como a materialidade de alguns objetos podem desencadear sensações e servir de vestígios de experiências negativas e como estas experiencias podem ser reconfiguradas cirurgicamente em uma retratação dos mesmos com o seu próprio desenho e o fim em que foram criados. Uma retratação que procura por um design menos corporativo,  reconfigurando a sua propria natureza em prol de uma existência expurgada dos seus interesses puramente monetários do que existenciais. Dentro dessa idéia, crio está alegória cirúrgica onde faço pequenas modificações em corpos autoritários, frios, duros, binários, que foram designados para uma função que por vezes determina e se impôe a própria subjetividade daqueles que os usam.
CARGO COLLECTIVE, INC. LOS ANGELES, CALIF. 90039—3414