A forma das coisas / A coisa das Formas
vídeo digital / 7:40 min



A forma das coisas / A coisa das formas busca apresentar o mundo subjetivo dos objetos expondo as relações de poder que eles adquirem na sua coexistência com a experiência humana. Na performance os objetos como simbolos das relações de poder expressam esse mundo subjetivo sobre aqueles que interagem com ele: dominação, submissão, materialidade e conotação na sociedade são colocados em questão com a intenção de resignificar essas relações e expurga-los de sua obrigação frente a um outro.

The shape of Things / The thing of the shapes seeks to present the subjective world of objects by exposing the power relations they acquire in their coexistence with human experience. In this article we present some of the concepts of power relations and their relations with each other. In this article, we present a discussion about the effects of dominance, submission, materiality and connotation in society.




A performance busca entender como a materialidade de alguns objetos podem desencadear sensações e servir de vestígios de experiências negativas e como estas experiencias podem ser reconfiguradas cirurgicamente em uma retratação dos mesmos com o seu próprio desenho e o fim em que foram criados. Uma retratação que procura por um design menos corporativo,  reconfigurando a sua propria natureza em prol de uma existência expurgada dos seus interesses puramente monetários do que existenciais. Dentro dessa idéia, crio está alegória cirúrgica onde faço pequenas modificações em corpos autoritários, frios, duros, binários, que foram designados para uma função que por vezes determina e se impôe a própria subjetividade daqueles que os usam.

Performance seeks to understand how the materiality of some objects can trigger sensations and serve as traces of negative experiences and how these experiences can be reconfigured surgically into a retraction of the same with their own design and the purpose in which they were created. A retraction that seeks a less corporate design, reconfiguring its own nature for a purged existence of its purely monetary rather than existential interests. Within this idea, I create a surgical claim where I make small modifications in authoritarian bodies, cold, hard, binary, that have been assigned to a function that sometimes determines and imposes the very subjectivity of those who use them.




What would a truly democratic encounter between truly equal beings look like, what would It be - can we even imagine It? - Timothy morton, the ecological thought


Frame do video

--

ficha técnica:

Argumento / Roteiro / Direção / Arte
Yan Copelli

Performers
Caruline Maria
Julia Correa
Mark Skeens

Cinegrafista
Pedro Falcão

Música
Ivan Moreira



CARGO COLLECTIVE, INC. LOS ANGELES, CALIF. 90039—3414